Experiências com as quatro melhores coisas da vida: Comer e Viajar

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Dois hambúrgueres, alface, queijo, cebola...

O Monstro ainda não vai falar dos sanduíches da loja dos arcos amarelos, por mais “do contra” que queira ser em suas aventuras gastronômicas e por mais que eventualmente ceda à praticidade da lanchonete de perto do trabalho. É hora de falar de duas novas refeições opostas envolvendo o sanduíche de carne moída moldada.

Um deles veio de surpresa quando ia tomar um chopp no bar Balcão, nos Jardins. O lugar é meio badalado, cheio, coisa e tal. Não é um bar a que dê vontade de voltar por seu clima de bar – mas até que dá vontade de voltar pela comida. O hambúguer alto, com tempero excelente, é servido simples, só ele e o pão, e a surpresa está no recheio. Dentro da carne há bastante queijo derretido, fazendo um belo complemento de um sanduíche gostoso e simples.


Ele experimentou ainda a opção au poivre, com a carne mais baixa e coberta por bastante pimenta do reino quebrada grosseiramente – um sabor bem diferente do tradicional. Os sanduíches de forma geral dominam a parte de comida do cardápio (por mais que haja outras opções). O recheado que o Monstro comeu custa coisa de R$ 13. Não é barato, mas há lojas especializadas vendendo coisa pior, e mais cara.

Por falar nos mais tradicionais. Numa correria do meio da reforma da nova cozinha o Monstro acabou batando de madrugada no Toninho & Freitas, vizinho menos badalado e mais cultuado do Burdog, na av. Doutor Arnaldo. Aqui, como no do lado, o foco não é o hambúrguer em si, mas os enormes acompanhamentos que disputam espaço dentro do pão.

A carne, por sinal, é sem graça, sem tempero, nada especial. O sanduíche que o Monstro pediu veio acompanhado de maionese (suficiente para fechar duas artérias), alface, bacon (suficiente para fechar três artérias) e cebola frita (lá se vai mais uma artéria). O pacote é o mais gorduroso e junkie que pode existir e custa em torno de R$ 15. Nada gastronômico se comparado ao hambúrguer de que falou antes, mas um bom lanche (no sentido de refeição, não de sanduíche como dizem paulistas menos educados).

3 comentários:

Gustavo disse...

Moro do lado do Balcão, mas não freqüento muito não. Na última quarta-feira acabei indo lá e provei esse habúrguer recheado de mussarela e adorei, mas o queijo poderia estar mais derretido e a carne um pouco mais bem passada.

Anônimo disse...

Mas este monstro gosta mesmo de hamburgwr, não? Paozinho com bolinho de carne moida e queijo é com ele mesmo, o resto, é só prá disfarçar.

Anônimo disse...

Mas este monstro gosta mesmo de hamburgwr, não? Paozinho com bolinho de carne moida e queijo é com ele mesmo, o resto, é só prá disfarçar.